Assine já

Histórias populares são atrações em peças de teatro

A Cia Teatro da Cidade, de São José dos Campos, realiza, a partir de hoje (10), três espetáculos gratuitos na cidade de Indaiatuba.

O projeto “Trilogia Abreu” prevê a circulação dos espetáculos “Maria Peregrina”, “Um Dia Ouvi a Lua” e “O Coração nas Sombras”, escritos por Luís Alberto de Abreu especialmente para a companhia nas últimas duas décadas.

As apresentações serão no Centro Cultural Hermenegildo Pinto (Piano), por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado e Economia Criativa de São Paulo.

Após cada apresentação, haverá debate com o público interessado. Os ingressos são gratuitos, mas devem ser retirados pela internet em https://linktr.ee/ciateatrodacidade.

Hoje (10), às 20h, o espetáculo em destaque é “O Coração nas Sombras”; já amanhã (11), também às 20h, a peça encenada é “Um Dia Ouvi a Lua”. Fechando as apresentações, no domingo (12), às 19h, o espetáculo será “Maria Peregrina”. A classificação indicativa para ambos é de 14 anos.

O Centro Cultural Hermenegildo Pinto (Piano) está localizado à Avenida Eng. Fábio Roberto Barnabé, 5.924, no Jardim Morada do Sol.

Criada em 1990 em São José dos Campos, a Cia Teatro da Cidade desenvolveu processo colaborativo com o dramaturgo Luís Alberto de Abreu, a partir de 2000, resgatando histórias populares e de pesquisa de temas voltados ao universo feminino.

Ao longo de seus 33 anos de trajetória, a companhia buscou abordar temas relacionados à recente história social e cultural brasileira e que contribuíram com a discussão de valores e do quintal brasileiro, possibilitando assim a universalidade dos temas abordados.

 

SINOPSES DAS PEÇAS

Maria Peregrina

Maria Peregrina, com direção de Claudio Mendel, foi uma das montagens mais importantes na trajetória da Cia Teatro da Cidade. Por meio do espetáculo, o grupo realizou temporadas em vários teatros na capital paulista, sendo um marco para um grupo do interior do Brasil e desconhecido no início da década de 2000.

A peça também conquistou mais de 40 prêmios em festivais e mostras, incluindo o Mapa Cultural Paulista do Estado de São Paulo, no qual concorreu com mais de 150 espetáculos, em 2002.

Conhecida como Nega do Saco ou Maria do Saco, a personagem peregrinou por mais de 20 anos nas ruas de Santana, um dos mais antigos bairros de São José dos Campos, e hoje é considerada Santa Popular.

A partir de pesquisas da companhia, o dramaturgo Luís Alberto de Abreu escreveu o texto, utilizando-se de fatos e episódios levantados sobre a personagem, transformando o espetáculo em três histórias distintas que narram o universo de Maria Peregrina: uma grande paixão que termina de forma trágica, um divertido julgamento do caipira Tiodorzinho e o drama de uma mãe que perdeu seu filho e peregrina no Vale do Paraíba para encontrá-lo.

 

Um Dia Ouvi a Lua

Um Dia Ouvi a Lua, dirigida por Eduardo Moreira, cumpriu duas temporadas na capital paulista, percorreu várias cidades de Estados como Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e São Paulo, além de participar de festivais em Portugal em 2014.

A peça conquistou o prêmio CPT (Cooperativa Paulista de Teatro) de melhor espetáculo do interior paulista e recebeu indicação do Prêmio Shell para melhor direção musical, assinada por Beto Quadros. O elenco dos dois espetáculos é formado por André Ravasco, Andreia Barros, Caren Ruaro, Carol Grignoli, Laura Ramalho e Rômulo Scarinni.

Inspirada nas canções Adeus, Morena, Adeus (Piraci/Luiz Alex), Cabocla Tereza (João Pacífico/Raul Torres) e Rio Pequeno (Tonico/João Merlini), gravadas pela famosa dupla caipira Tonico & Tinoco, a peça revela três diferentes mulheres que invertem os valores machistas das narrativas dessas composições, conhecidas do cancioneiro popular brasileiro, recriando-as do ponto de vista feminino.

 

O Coração nas Sombras

O Coração nas Sombras, com direção de Kiko Marques, foi produzido em 2020, em comemoração aos 30 anos da Cia Teatro da Cidade, em plena pandemia do Covid-19. Ao longo de 2021, o espetáculo participou de vários festivais online e no ano passado conseguiu voltar aos palcos, cumprindo temporada na Funarte (Fundação Nacional de Artes) em São Paulo, entre os meses de julho e agosto. O elenco é composto por Andreia Barros, Caren Ruaro, Rômulo Scarinni e Sheila Faermann.

A peça é inspirada na história real de Letícia Poletti (1908-1939), uma simples dona de casa da década de 30, mãe de três meninas, filha de imigrantes italianos, explorada pelo marido e internada como louca pelo irmão mais velho no Sanatório de Barbacena, conhecido como Holocausto Brasileiro, onde faleceu aos 31 anos.

A encenação utiliza documentos e imagens das personagens envolvidas e dos internos no Hospital Colônia de Barbacena, onde faleceram 60 mil pessoas. A montagem faz uma relação direta com a sociedade atual e pretende provocar uma reflexão sobre o papel da mulher nas relações sociais, ainda influenciadas pelo patriarcado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste também