Assine já

Breve elogio ao Patrono

Na noite quarta-feira aconteceu a abertura da sexta Semana Cultural Ettore Liberalesso em um dos auditórios do CEUNSP em Salto. Um importante evento para a divulgação da cultura e história local e promovido pela Academia Saltense de Letras. Tive a oportunidade em fazer um breve elogio ao meu patrono, aquele que também é patrono do evento. Publico aqui o texto da fala durante o evento.
6ª Semana Cultural Ettore Liberalesso.
Lembro-me quando em 2016 participei das reuniões com os hoje confrades e confreiras da Academia Saltense de Letras para colocar sobre a mesa e debater as primeiras ideias de um projeto que estava sendo gerado ali, no interior da Biblioteca Municipal de Salto. Eu ainda não era membro da ASLe, participei como convidado das reuniões, como um entusiasta na militância pela cultura e encontrei outras pessoas com pensamentos em comum.
Lembro-me também ao encerrar a primeira edição da Semana Cultural Ettore Liberalesso, em 2017, quando o Professor Antônio Oirmes Ferrari me convidou para fazer parte do grupo de acadêmicos, aceitei com muita alegria.
A partir do momento em que aceitei ocupar a cadeira número 1, fui honrado com a oportunidade de ter como patrono o historiador e jornalista Ettore Liberalesso, fundador da Academia Saltense de Letras, em 2008 e patrono do Museu da cidade, posição à qual foi conduzido logo após sua morte ocorrida em 2012. Ambas as instituições e a cidade muito devem à sua dedicação, generosidade e criatividade, no trabalho incansável de coletar dados e materiais, organizar, escrever e interpretar o seu tempo.
Para citar o trabalho escrito pelo saltense aqui em destaque, cito os livros: “Salto: História, Vida e Tradição”; “Salto: História de suas ruas e praças”; “Famílias de Salto”; “As mais de mil ruas de Salto sob o ponto de vista temático”; “Salto, sua história, sua gente”; e “Ettore: autobiografia mesclada à história”.
Este último publicado dias antes do seu falecimento, aos 92 anos de idade, no ano de 2012. Para qualquer cidade, ter uma riqueza de material com sua história registrada é um grande presente, Salto pode ser considerada uma terra privilegiada.
Por fim, foi publicado o livro “Lugares da Memória”, em homenagem aos 100 anos de nascimento de Ettore, em 31 de março de 1920.
Como memorialista Liberalesso, deixou um legado, todo estudante da história local deve passar por Ettore, ler, interpretar, concordar, discordar, debater, criticar, enfim… O homem se foi, a obra permanece, a memória vai sendo construída.
Boa noite a todos
Um bom fim de semana a todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste também