Assine já

Camerata de Indaiatuba apresenta nesta sexta-feira concerto gratuito no Ciaei

No segundo concerto da Temporada 2024, a Camerata Filarmônica de Indaiatuba apresenta o espetáculo “Do Clássico ao Romântico”, com obras imortais de grandes nomes da música como Felix Mendelssohn, Joseph Haydn e Antonin Dvorak, cada um representando o ápice da expressividade e beleza musical de suas épocas.
O concerto será nesta sexta-feira (5), às 20h, no Teatro Ciaei, em Indaiatuba. A regência será da Maestra Natália Laranjeira, com participação especial do renomado violoncelista Matias de Oliveira Pinto. A entrada é gratuita, mas os ingressos devem ser reservados através do site www.sympla.com.br/do-classico-ao-romantico__2370903
Entre as obras que serão apresentadas está a Sinfonia nº 10 de Mendelssohn, composta em 1827, quando Mendelssohn tinha apenas 18 anos, e que revela uma maturidade impressionante no tratamento das estruturas sinfônicas e na manipulação das emoções. Sua textura é rica e sua orquestração cuidadosa, exibindo já os traços característicos que Mendelssohn desenvolveria em suas sinfonias completas posteriores.
O concerto para Violoncelo em Dó Maior de Haydn é uma das obras mais celebradas e tecnicamente exigentes do repertório para violoncelo. Composto por Joseph Haydn por volta de 1783, o concerto destaca-se pela sua elegância, brilho e a utilização inovadora do violoncelo como instrumento solista. O concerto é estruturado em três movimentos, seguindo a forma clássica rápida-lenta-rápida. A obra é notável pela sua rica expressividade melódica e pela forma como equilibra virtuosismo e lirismo, permitindo que o solista explore uma ampla gama de emoções e técnicas.
Serenata para Cordas de Dvorak foi composta em 1875 e é uma das obras mais populares e encantadoras de Antonín Dvorák. Este trabalho reflete o amor do compositor pela música folclórica e pela natureza, apresentando uma qualidade lírica que é ao mesmo tempo íntima e expansiva. Estruturada em cinco movimentos, a Serenata evoca uma atmosfera de elegância e graça, caracterizada por suas melodias cativantes, harmonias ricas e texturas transparentes. A obra é um excelente exemplo da habilidade de Dvorák em criar música que é profundamente expressiva, tecnicamente refinada e acessível a um amplo público.
Essas obras, cada uma dentro de seu contexto histórico e estilístico, ilustram a habilidade de seus compositores em explorar e expandir as possibilidades musicais de suas épocas, contribuindo significativamente para o desenvolvimento do repertório orquestral e de câmara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você goste também